Início Análises Análises de Games Análise: Resident Evil 2

Análise: Resident Evil 2

Resident Evil 2 - New Key Visual - Leon e Claire - Wallpaper Full HD - 1920x1080


Desde que a Capcom começou a remasterizar os jogos da franquia Resident Evil e começaram a surgir as primeiras imagens e vídeos de Resident Evil 2 totalmente refeito, os fãs ficaram muito animados de ver como que seria a clássica história de Leon e Claire na delegacia de Raccoon City. O jogo teve bastante sucesso na época do antigo PSOne e ganhou uma versão para o Nintendo 64 que foi um milagre da engenharia e do desenvolvimento de jogos, conseguindo o impensável para a época, de reduzir 2 CDs em um cartucho.

Nesse meio tempo a série foi ganhando diversos jogos, com alguns com mais sucesso e outros bem criticados, com diversos estilos de jogabilidade. Com Resident Evil 7 e o uso da RE Engine (engine proprietária que traz visual bem realista), chegou a vez de Resident Evil 2 ter o mesmo tratamento, trazendo, sem sombra de dúvidas, um dos melhores jogos deste ano. A Capcom acertou em cheio com o remake e teremos novos conteúdos gratuitos, com o DLC Ghosts Survivors e roupas clássicas dos 2 protagonistas.

Joguei bastante o game, e se você curte jogos de terror, ele é altamente recomendado! Saiba mais em nossa análise.

Ficha Técnica
Produção Capcom
Desenvolvimento Capcom
Lançamento 25/01/2018
Plataformas PlayStation 4, PC, Xbox One
Classificação 16 anos (Brasil)
Gênero Terror/Ação
Descrição Novo jogo da famosa franquia da Capcom trazendo os eventos do surto dos vírus que transformaram as pessoas em zumbis na cidade de Raccoon City. O jogador controla Leon S. Keneddy e Claire Redfield tentando escapar do local
Online Não.
Idiomas Português (Legendas, Descrições e Nomes de itens/Menus).
Configurações do PC GPU: GeForce GTX 1080
CPU: Intel(R) Core(TM) i7-4770K CPU @ 3.50GHz
Memória: 8 GB RAM (7.91 GB RAM utilizável)
Resolução atual: 1920 x 1080, 60Hz
Progressão 10 horas de progressão e campanha do “Lado A” da Claire completada. Lado B com cerca de 4 horas ate o momento.

 

Resident Evil 2 - Leon e Claire - Imagem dos protagonistas

Resident Evil 2 é situado em Raccoon City, durante o surto dos vírus que transformavam pessoas em zumbis, tudo criação da Umbrella Corporation, uma empresa farmacêutica que queria criar uma arma perfeita para fins militares (e outros objetivos), mas tudo deu errado e isso infectou as pessoas da cidade.

Você escolhe entre Leon S. Kennedy e Claire Redfield. Leon é um novato da delegacia e acaba topando com a Claire em um posto de gasolina, ajudando ela a chegar na cidade. Ela, por sua vez, estava em Raccoon City atrás do Chris, que tinha sumido. Eles se separam e você começa a campanha pra valer dentro da delegacia, tentando escapar e enfrentando diversos perigos, com os zumbis, os carnífices (lickers), etc.

Resident Evil 2 - Claire Redfield e Sherry Birkin

Visualmente o jogo é de cair o queixo e no PC você tem diversas opções de customização gráfica com um detalhe incomum nos jogos de computador: o game exibe a quantidade de memória que irá gastar dependendo da configuração, o que é ótimo pra poder configurar as melhores opções. Às vezes é melhor ter um pouco menos de sombras e ter 1 GB a mais de folga na memória do que tentar botar tudo no talo e ter problemas de performance.

Assim consegui rodar o jogo a 60 frames por segundo sem engasgos e o jogo é muito bem otimizado. Iluminação soberba, os modelos dos personagens são muito bem detalhados, cenários e inimigos, o visual do jogo impressiona. Resident Evil 2 é um dos jogos mais bonitos da geração atual de consoles e PC.

Resident Evil 2 - Claire apontando a arma

A jogabilidade traz a visão de cima do ombro, que foi popularizada em Resident Evil 4. Mesmo jogando no PC acabei usando um controle e tinha horas que eu errava a mira. Em situações de risco era bem complicado mirar e gastava bastante munição, mas na campanha básica não tinha tantos problemas justamente por conta de um termo que os jogadores comentaram nas redes sociais: a dificuldade adaptativa. Sem ter conhecimento disso, até que não tinha tantos problemas e sempre torcia pra arrumar mais munição e tentava gerenciar bem as munições, tentava desviar dos oponentes

Mas depois disso comecei a perceber quer o jogo “dava um empurrãozinho” de leve, pelo menos na dificuldade normal. Menos tiros pra nocautear um zumbi (algo que percebi quando tava com menos de 6 tiros no lado B do Leon), ervas em locais estratégicos e às vezes determinados inimigos estavam em um local mais “distante”, dando uma chance de usar menos tiros. Claro que mesmo na dificuldade normal o jogo é bem desafiador, por conta justamente de gerenciar bem o que você tem. Nem sempre os zumbis estavam realmente mortos (quando você retornava para aquele corredor no primeiro andar), ter 2 tiros de lança-granadas pra abater um licker em uma sala importante, você tem de saber bem quando salvar e quando vale a pena gastar muitos tiros.

Resident Evil 2 - Claire em um pátio

Também tem o “back-tracking”, que é bastante usado e que acaba aumentando um pouco o seu tempo de progressão, onde você acaba retornando em algum local após conseguir um item importante ou uma chave. Com isso mais locais se abrem e você tem mais opções de rotas, dando ao jogador a opção de sempre escolher uma mais segura.

Outra vantagem do Resident Evil 2 para os brasileiros é que o jogo vem com legendas, menus e descrição de itens, o que é ótimo para novos jogadores que possam ler os arquivos com mais informações da série.

Resident Evil 2 - Imagem do remake HD - Leon 01

Apesar de ter jogado o Resident Evil 2 original, até que foi interessante fazer essa progressão sem lembrar de quase nada do anterior, mas alguns elementos estão praticamente intactos, como a escada perto da sala de saves onde está o estúdio de revelação de fotos (que na verdade é bem mais impactante no Resident Evil 3 por ser o local onde o Nemesis atravessa a parede/janela, antes de você) e momentos memoráveis, como os encontros contra alguns inimigos mais poderosos e chefes. Da questão do “Lado B” da história, é interessante ver uma abordagem de complemento acontecendo “ao mesmo tempo” que a progressão principal

Para quem curte jogos de terror e é fã da série, Resident Evil 2 é altamente recomendado! A campanha normal tem em torno de 6 a 10 horas para fechar, rendendo muitos sustos e desafios, mesmo com a dificuldade adaptável, incluindo diversos momentos com puzzles. Também tem o Lado B que adiciona mais horas de jogo, mostrando uma progressão diferente na ordem que você acessa as salas da delegacia e com o outro personagem. Essa progressão também é bem desafiadora se não conseguir gerenciar direito a munição e os puzzles também tem ligeiras mudanças.

Mais Análises de Games

Análise: Battlefield V (PC)
Modos de história e criador de personagens são destaques em SoulCalibur VI | Análise
Call of Duty: WWII – Retorno às origens com campanha regular e multiplayer | Análise

Resident Evil 2 está disponível para PC, PS4 e Xbox One.