soldner-x_01

Söldner-X: Himmelsstürmer. Himmelsstürmer é uma expressão que significa, em inglês, “charging the sky”. Em português, pode ter diversas classificações, como carregando pelo céu ou mesmo atacando no céu, enfrentando ad adversidades no ar. O jogo pode acabar passando despercebido pela maioria dos jogadores do Playstation 3, talvez por não conhecer o jogo e porquê é mais fácil comprar um game clássico do PSOne (como o Metal Gear Solid) ou um jogo qualquer do Playstation 3 mais conhecido (como o remake do Turtles in Time), ou um DLC qualquer por 10 dólares. O preço acaba sendo justo pela qualidade técnica do Söldner-X, o que estarei explicando na análise a seguir.

soldner-x_02



A essência de Soldner-X (não usarei o trema no resto da análise) é o gênero shmup, que é uma abreviação de soot’em up. O subgênero é jogo de navinha, onde você controla uma nave e vai jogando de forma lateral, numa jogabilidade 2D. Desta classificação, até agora eu vi 3 sentidos de progressão da mecânica de jogo: de cima para baixo, com a nave vista de cima e os canhões apontados para cima (como no jogo Ikaruga); da esquerda pra direita, sendo que na PSN tem o Astro Tripper, onde a câmera acompanha a sua nave (e aparentemente você pode ir pra qualquer lugar do cenário) e o Soldner-X, que tem a jogabilidade copiada do R-Type, um dos jogos de navinha mais conhecido pelos jogadores que passaram pela era SNES/Mega Drive. Em Soldner-X você não tem controle nenhum da câmera, e com isso você pode apenas movimentar a sua nave dentro do campo de visão. Em boa parte da primeira fase você não precisa se preocupar com o cenário já que não há obstáculos naturais, mas no final dela e nas fases seguintes você encontrará obstáculos que farão a sua nave sofrer danos.

Graficamente o jogo dá um show. Sério: apenas a sua jogabilidade é em 2D, e os gráficos são em 3D nos inimigos, nave e nos cenários. É um dos jogos mais belos que já vi no console da Sony, tanto nos cenários de fundo quanto nos efeitos gráficos que o jogo mostra pra você. Explosões, tiros, alguns objetos sendo destruídos. É um colírio para os olhos dos jogadores. Nas transições de fases é mostrado um pouco do enredo e o modo que eles contam a história é impressionante. Não tem aqui cenas em CG ou cenas gráficas interativas: são apenas imagens estáticas com a legenda do enredo embaixo, e algumas das imagens são belíssimas. Achei bem criativo o modo de contar o enredo, já que isso economiza tempo e recursos da equipe de desenvolvimento.

soldner-x_04

Segue enredo (via Playstation.pt):

No argumento, a resistência do planeta Terra tenta parar uma mortífera infecção que consome as formas de vida e a tecnologia de igual modo, tendo estranhamente de confiar num anti-herói mercenário e caçador de tesouros para pilotar um poderoso protótipo de caça espacial.

O seu objectivo: combater até chegar à origem do vírus, salvar a civilização e, além disso, ganhar dinheiro!

Meio clichê, mas ainda assim interessante pra explicar o porquê de tanto tiroteio aéreo.

Uma coisa a se comentar antes de falar da jogabilidade e dificuldade é que eu tinha uma certa aversão ao estilo “da esquerda pra direita”. Queria que tivesse na PSN algo como o Ikaruga, com gênero futurista, naves espaciais e de baixo pra cima. Quando analisei se valia a pena adquirir o Soldner-X, eu queria que tivesse um demo pra eu poder baixar e ver, mas o jogo não tem. Então eu apelei pro Youtube, assistindo o vídeo da primeira missão. Depois que eu fiquei encantado com a sua música e a ação presente no vídeo, então eu comprei e baixei pela PSN.

soldner-x_03

Agora vamos falar do ponto mais importante: o nível de dificuldade. Antes eu achava que jogos de navinha eram relativamente fáceis, mas como o Dori Prata comentou neste texto, o gênero é um dos mais difíceis dos videogames. Eu já sabia que o Ikaruga é difícil, mas nunca imaginei como que seria a dificuldade do Soldner. No vídeo você não percebe, mas o cara que está jogando é muito bom, o que aparenta que o mesmo seja relativamente fácil. Ledo engano: aqui são muitos inimigos na tela, e você tem de se preocupar com os tiros dos inimigos, com os inimigos e com o cenário. No começo tem inimigos que apenas se movimentam na tela. Depois aparecem inimigos que atiram e por fim temos o cenário, que pode trazer danos na tua nave. Como a quantidade de inimigos na tela é enorme algumas vezes, você tem de atirar pra todos os lados e se desviar dos obstáculos. A segunda fase é uma das mais difíceis, já que como a câmera está quase sempre em movimento, você tem de ter uma habilidade enorme pra se desviar do cenário (que é debaixo da terra) e se preocupar com os inimigos e armadilhas. O reflexo que você tem de ter é enorme, além da jogabilidade. Pelo menos os desenvolvedores fizeram o dever de casa e a nave responde muito bem os comandos do jogador, o que ajuda bem durante o zeramento.

Soldner-X tem vários níveis de dificuldade, que são Beginner, Very Easy, Easy, Normal, Hard, Impossible e Nightmare. Até agora eu joguei mais no Beginner e fiz uma tentativa no nível Hard. Antes de dizer que eu só queria moleza, acredite: o Beginner é muito difícil de se completar. Quando comprei e joguei logo de cara, parece que a dificuldade padrão do jogo é normal, e aí eu me ferrei de maneira épica na segunda fase. No menu de opções você pode alterar o nível, e aí então eu coloquei no Beginner pra conhecer o jogo e saber como que seria as outras missões. No começo você tem apenas 1 continue (com 3 vidas pra usar em cada), e pra esse valor aumentar, você terá de jogar muito. Quando você vai passando de nível no ranking interno você ganha continues que podem ajudar você a terminar nos níveis de dificuldade mais insanos. Atualmente eu to com 4 continues, mas eu devo ter jogado aproximadamente 15 horas e eu já derrotei mais de 90 mil inimigos. Num tópico do Gamefaqs um usuário comentou que o máximo de continues possível são 9, mas até chegar a esse número são pelo menos 30 (isso mesmo, 30!) zeramentos, o que dá pelo menos de 30 a 40 horas de jogo. Caso você tenha interesse nos troféus da versão Playstation 3, com certeza você vai acabar jogando isso tudo de tempo. Aí você vai acabar ficando bom e acaba aprendendo os padrões de ataque dos inimigos e chefes. A cada avanço na dificuldade os inimigos ficam mais rápidos, dão mais tiros e os tiros tiram mais danos, e com isso ter muitos continues e ser habilidoso é a chave pra vitória.

Soldner-X tem 5 tipos de arma e vários tipos de power ups. As duas armas iniciais (e únicas que se recarregam sozinhas) são Pulse (tiros) e Beam, que é um raio que sai da nave. O Pulse é bom pra maioria dos inimigos já que causa mais dano, mas é sempre em linha reta. O Beam é bom pra muitos inimigos, já que com isso você pode limpar muitos inimigos da tela, pelo raio ser contínuo:

soldner-x_05

O ruim dos raios é que isso diminui a visibilidade da tela perante os tiros dos inimigos. Os outros 3 tipos são Bow, onde os tiros seguem na direção dos inimigos, Rocket, que é um míssil teleguiado (e bastante raro de se achar) e Flame (lança-chamas), de alcance curto mas com a capacidade de tirar muito dano nos inimigos. De power-ups tem desde que recupera um pouco a energia, power-ups de pontos, os power-ups das armas, que servem tanto pra habilitar as armas na tela quanto pra recarregar elas. Também tem os power ups mais importantes, como o Satellite (um ajudante extra que fica te rodeando e atira jundo com você) e de Multi-shot, que adiciona um canhão extra e com isso você poderá atingir vários inimigos ao mesmo tempo:

soldner-x_06

A mecânica do jogo acaba sendo a mesma, e o Eurogamer comentou que o jogo se repete muito. Eu discordo em partes: a jogabilidade acaba sendo a mesma, mas os desafios aumentam e ficam diferentes com o passar do tempo. O modo estória é bem curto e você consegue zerar em pelo menos 2 horas. Caso você consiga coletar 4 das 5 chaves em cada missão, você habilita o quinto mundo e em cada zeramento você vai automaticamente pra ele, mesmo não precisando coletar novamente as chaves secretas. Cada mundo tem o seu estilo artístico e desafios únicos, o que elimina um pouco a repetição aparente do game.

Outro fator positivo é o fato do site oficial ter rankings e você poder gerar uma gamertag do Soldner, com a sua maior pontuação. Pena o card ser um pouco pobre em informações, mas acaba incentivando um pouco a competitividade entre os jogadores:

rodrigoflausino's Gamer Tag

Outro ponto que impressiona é a sua trilha sonora e os efeitos sonoros. As músicas de fundo estão entre as melhores que já escutei e durante o jogo a dublagem da narradora e a voz de fundo que te incentiva foram muito bem gravados, apesar da voz da narradora ser um pouco estranha. As músicas de fundo são agitadas e interessantes para o gênero: se um jogo de navinha não tem uma música decente é complicado você ficar animado e a música pode acabar te prejudicando.

Soldner-X vale a pena ser adquirido, mesmo ele tendo um nível de dificuldade elevado. Se você não se preocupa com troféus e gosta do gênero, você pode jogar de vez em quando pra distrair, mas caso queira fazer tudo possível, se prepare pra muitas horas de jogo, até você decorar as fases e ficar realmente habilidoso com a sua nave. Pena não ter um co-op online, o que poderia ser bem interessante, mas quem sabe isso possa ter no segundo jogo, que será lançado no final de 2009/início de 2010. Apesar de sua curta duração ele tem um fator replay bem interessante, que aumenta caso você tente coletar os troféus possíveis.

[Imagens via IGN e Site oficial]