Aos poucos os rumores acerca do PlayStation 5 (ou PS5) começam a surgir, por conta tanto da aproximação da E3, quanto por conta do PS4 já ter alguns bons anos de vida útil. Segundo o Anandtech (via IGN) a fabricante de chips semicondutores TSMC (“Taiwan Semiconductor Manufacturing Company”) sugere a produção em massa de componentes que poderão ser usados na fabricação do novo console da Sony.

O chip seria de 7nm (CLN7FF), já estando a ser produzido em larga escala. Pelo presidente da TSMC ter citado que a indústria de games é um dos destinos finais dos seus produtos, pode ser que o novo console use a tecnologia.

Mais de 50 produtos estão planeados até ao final do ano, de aplicações que vão desde o mobile, servidores, CPU, redes, gaming, GPU, PGA, cryptocurrency e IA. O nosso 7nm está já a ser produzido em volume,” disse C. C. Wei (via Anandtech).



Claro que, apesar deste novo rumor, pode ser que o console use o Navi, a próxima geração de processadores da AMD. Segundo um rumor anterior, divulgado no início de abril, o site SemiAccurate comentou que o console “terá uma APU composta por um processador de arquitetura Zen com oito núcleos e uma GPU baseada na geração Navi, que deve ser apresentada pela AMD neste ano. Ambos os hardwares trarão customizações feitas pela Sony, algo que é comum nos consoles.”

Além disso, o novo console será otimizado para realidade virtual, sugerindo que o aparelho será compatível com o PlayStation VR, os óculos de realidade virtual do PlayStation 4 e que chegou a ganhar uma versão atualizada ano passado.

Por hora teremos de esperar por novas informações e pela E3 2018, que será nos dias 12 a 14 de junho. Ainda acho improvável da Sony já anunciar um novo console este ano, mas muita gente aposta para o lançamento do PlayStation 5 em 2020.

Também há um rumor dele ser retrocompatível com o PlayStation 4, e se isso acontecer será muito bom para os jogadores, que poderão migrar para ele sem ter grandes problemas, mas eu ainda fico cético quanto a isso, pois a Sony não é muito de retrocompatibilidade, optando por continuar investindo no PSNow. Quem se deu bem nesta geração foi o Xbox, por conta da retrocompatibilidade do Xbox One com os consoles anteriores, oferecendo até o momento mais de 300 títulos, reduzindo o custo dos jogadores para jogar games antigos.