No primeiro semestre de 2018 a Bandai Namco lançou oficialmente o Dark Souls Remastered, versão remasterizada do primeiro jogo, e agora para os consoles atuais e PC. No PS4 e no Xbox One significava ter toda a franquia nos consoles (lembrando que o XOne já tinha o primeiro jogo retrocompatível), o RPG também ganhou versão pra o Switch e no PC tinha a garantia de não precisar mais de mutretas para deixar o jogo melhor com gráficos.

Ainda no PC, quem tinha o original poderia adquirir o jogo pela metade do preço nas primeiras semanas de lançamento, o que foi uma excelente iniciativa da produtora. Aproveitei essa oferta (pois já tinha o original no PC), joguei bastante o jogo e continuo a assegurar: Dark Souls continua sendo altamente recomendado!

Só não sei dizer se ainda dá pra pegar o jogo pela metade do preço pra quem tem o original, mas ainda assim ele vale muito a pena adquirir, principalmente se você aproveitar alguma promo interessante no Steam. Saiba mais em nossa análise!



Ficha Técnica
Produção Bandai Namco
Desenvolvimento QLOC, remasterizando o jogo  original da From Software
Lançamento 23/05/2018 (PC, PS4 e Xbox One), 19/10/2018 (Switch)
Plataformas PlayStation 4, PC, Xbox One, Nintendo Switch
Classificação 14 anos (Brasil)
Gênero RPG em terceira pessoa, ação visceral
Descrição Primeiro game da série Dark Souls, com visuais melhorados e multiplayer trazendo mais jogadores (até 6).
Online Sim.
Idiomas Português (Legendas, Descrições e Nomes de itens e Menus)
Configurações do PC GPU: GeForce GTX 2070
CPU: Intel(R) Core(TM) i7-4770K CPU @ 3.50GHz
Memória: 16 GB RAM
Resolução atual: 1920 x 1080, 60Hz
Progressão 45 horas de jogo até o momento, chegando até o mapa final e acessando algumas áreas do DLC. Optei por não completar o jogo para poder explorar melhor as áreas do DLC antes de partir para um New Game+.
Dark Souls Remastered - PC Screenshot 01

Dark Souls Remastered veio com melhorias gráficas surpreendentes, tanto nos consoles e no PC. Com suporte ao 4K e resolução FullHD, o jogo veio bem otimizado e agora não precisávamos mais apelar pra MODs nos computadores. O RPG mantém o visual em 60 FPS constantes e em locais problemáticos, como Blighttown, não tem mais problemas de framerate. Os efeitos visuais também vieram aprimorados, como fogo, reflexos de armaduras, entre outros. Só os cenários que não teve tantas melhorias aparentes à longa distância (ficou bem parecido com o original, com aquele estilo meio borradão que veio do Demon’s Souls), mas de perto os efeitos gráficos como iluminação e texturas são bons.

Da jogabilidade, o jogo se manteve fiel ao original, com a jogabilidade de “atacar/defender”, como estamos acostumados. Claro que isso significa que o backstab ainda é difícil de ser realizado dependendo dos equipamentos utilizados pelos jogadores. Mas o sistema de builds se manteve igual ao original e o jogo dá boa liberdade nas escolhas de estilos, por exemplo ser um cavaleiro “capa e espada” ou um mago/piromante. Mas é aquele negócio: tem de manter uma linha de escolhas a cada nível, e para jogadores mais comuns, a gente acaba sempre tentando upar tudo ao mesmo tempo, e isso pode acabar gerando problemas pra enfrentar determinados chefes.

Outra melhoria foi no multiplayer, agora com mais jogadores. Com o item especial Dread Finger (Dedos Ressecados) o jogador consegue invocar até 3 pessoas, mas abre o mundo para 2 invasores (totalizando 6 pessoas). Também foi adicionado o sistema de senhas (similar a Bloodborne e Dark Souls III) facilitando bastante para quem quiser fazer co-op com os amigos.

Dark Souls Remastered - Co-op

O único ponto que considero complicado no online é o novo sistema de “Weapon Range” (weapon matchmaking), um sistema interno e pouco divulgado com um “intervalo de níveis de armas” que limita bastante o co-op, mas que acaba trazendo mais equilíbrio. Por exemplo: se o jogador for melhorando as armas a níveis elevados, ou pega um equipamento poderoso/de chefe (por exemplo a espada de fogo da Queelag) o jogo seta que você tem uma arma poderosa e com isso apenas os outros jogadores com equipamentos equivalentes vão invadir o seu mundo ou te oferecer co-op.

Com isso, se você quiser oferecer ajuda em Ruínas de Nova Londo (por exemplo) pode ter problemas pra ser invocado ou achar jogadores. Então ou você acaba tendo de bolar alguma estratégia para matar um chefe, ou tentar farmar almas e níveis para ficar mais poderoso (que demanda bem mais tempo).

Dark Souls Remastered - PC Screenshot 03

Dark Souls Remastered é a versão definitiva do primeiro game da série, e é a mais recomendada para adquirir nos consoles atuais e PCs! O jogo veio também com legendas e descrições dos itens em português, além de todo o conteúdo do DLC “Artorias of The Abyss”, adicionando mais horas de jogo e outras localidades. O game tem duração de 30 a 50 horas dependendo do estilo do jogador, mas pode ser estendido com os “New Game +”, recomeçando o game com quase todos os equipamentos e níveis adquiridos. Um recurso que foi usado em toda a série e bem antes disso ser popularizado em jogos recentes, como o Spider-Man e God of War.

No PS4 e Xbox One agora tem toda a série completa, trazendo o Remastered, o Dark Souls II: Scholar of The First Sin e o Dark Souls III.

Dark Souls Remastered - Espada da Queelag