Vamos a explicação básica que responde as dúvidas de vários leitores deste blog: as diferenças entre as CGs e as imagens ingame nos jogos eletrônicos. Acredito que as pessoas que confundem pode não conhecer as definições de CG. CG, para mim, são aquelas animações altamente trabalhadas de diversos games, que não usam os gráficos do jogo. O nome correto e usado pela indústria de jogos é cinematic: animação não-interativa. Por exemplo, qualquer filme de animação da Pixar é CG. Quem usa muito esse recurso é a Square-Enix, que usa tanto que ela está no estado da arte deste tipo de animação: não tem pra ninguém! Apesar de vermos animações como a abertura de Onimusha 3, que possui um nível espetacular de detalhes e ação, é a Square que consegue tirar leite de pedra.

Mas é claro que para vocês entenderem, veja uma diferença entre uma CG e os gráficos do jogo. À esquerda, uma screenshot de uma das CGs de Final Fantasy VIII, para o Playstation, e à direita uma imagem ingame (do próprio jogo):



Achou a diferença gritante? Sim, já que estamos falando de um jogo de 1999 para o Playstation. Só que de lá pra cá os gráficos deram uma boa melhorada. Vamos usar agora o Final Fantasy X como exemplo:

À esquerda, uma screenshot de uma CG do jogo. E ao lados os gráficos ingame (gráficos do jogo). Hoje, com os videogames atuais, as CGs altamente trabalhadas estão deixando de ser necessárias, já que dá pra criar uma cena de ação com os gráficos do próprio jogo, já que economiza um bocado de memória que pode ser usado. É claro que hoje espaço não é mais justificativa por causa do tamanho dos DVDs, mas ainda assim surgem games que ultrapassam o tamanho dos mesmos: Heavenly Sword tem mais de 10 GB de áudio! Além disso, uma camada do Blue-ray (mídia usada pela Sony no Playstation 3) cabe 25 GB, o que é um espaço consideravelmente alto, e com certeza a Square vai usufruir de todo este espaço pros seus próximos RPGs!

Falando tecnicamente (sou estudante de gamedev!), é mais fácil você setar os movimentos dos modelos 3D dos personagens para criar uma cena animada (machinima?) do que setar isso num software 3D e renderizar. Ainda assim, nós, desenvolvedores indie, ralaríamos para criar uma animação complexa, já que demandaria um tempo enorme, teríamos de dublar, editar, além da demora em renderizar a cena, que pode demorar vários dias (eu não to brincando!) com o computador ligado só para isto. Fica praticamente inviável!

Voltemos ao assunto do artigo: hoje, com o poder do Playstation 3 do Xbox 360, os gráficos do jogo estão chegando próximos das próprias CGs! Vamos agora usar o Final Fantasy XIII, onde à direita temos o gráfico do jogo:

Existe diferença? Praticamente não. Acredito que em duas ou 3 gerações de games talvez estejamos jogando uma CG, mas acredito que até lá talvez as CGs estarão tão evoluídas que vai parecer que foi filmado com câmeras digitais. Pode parecer impossível, mas a tecnologia está caminhando para isto. Fora que podem surgir outros modos de imersão em games que possam trazer uma diversão ainda maior e mais realista a estes games. Espero estar vivo até lá e com este blog em funcionamento (meio difícil, mas nunca se sabe!).

Agora, se você tiver dúvidas quanto a esta diferença, faça um comentário que eu ou outros leitores possam ajudar você com isso.

Créditos das imagens: UOL Jogos, Forever Fantasy, FF-XIII.net, Final Fantasy Online