PSN Store Logo Brasil

Saiu hoje na Folha de São Paulo que os bancos brasileiros suspenderam as compras “em reais” no exterior, por conta da oscilação maluca do dólar que os consumidores estão vendo nas últimas semanas. Ultimamente comprar fora do Brasil está voltando a se tornar uma loteria indigesta, por conta da variação da moeda americana, que já foi cotada a R$ 2,45 no dia 21 de agosto e até esta quinta-feira estava cotada a R$ 2,27. Para quem compra bastante na PSN americana, está mais salgado, o que inclui o IOF de 6,38%. Segundo a reportagem da Folha, “a alternativa, que serve para o consumidor tentar congelar uma determinada cotação no ato da compra em vez de esperar a conversão que é feita pelos bancos no fechamento da fatura do cartão, está sendo sustada este mês”. O Bradesco, Itaú e Santander aderiram à orientação da Abecs, entidade que representa o segmento de cartões, Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil ainda avaliam se seguirão o os principais concorrentes.

Para o Itaú, as lojas deixam de informar ao consumidor que a compra é classificada como internacional e que existem outras taxas inerentes à compra, “com incidência do IOF de 6,38% e possibilidade de variação entre a cotação do estabelecimento e a cotação da data de fechamento da sua fatura”. Quanto ao Bradesco, “a partir de setembro, “transações realizadas no exterior diretamente em real não serão mais aprovadas”, o que deve deixar a situação mais complicada para o consumidor. Para a Abecs, a compra “em reais” fora do Brasil acaba fazendo com que o consumidor reclame e não pague a taxa do IOF, fora a “taxa de administração” que as operadoras embutem na compra, uma taxa que poucos conhecem direito.



Junto com isso, a Sony Entertainment Network mandou uma nota automática para os e-mails dos consumidores que tem contas na PSN brasileira, informando sobre essa mudança. Confira a nota na íntegra:

Caro fã de PlayStation,

Queremos alertá-lo sobre mudanças importantes nas transações da PlayStation Store (“PS Store”) de acordo com uma nova regulamentação no Brasil. Efetivo 13 de setembro de 2013, alguns bancos brasileiros já não permitirão aos consumidores comprar em reais de comerciantes internacionais, incluindo a PS Store.

Um cartão de crédito internacional ainda é necessário para compras na PS Store. Cada vez que você adiciona dinheiro a sua conta com um cartão de crédito internacional, o seu banco de emissão pode impor taxas adicionais que podem incluir flutuações cambiais e impostos em operações de câmbio internacionais ou pode rejeitar a transação e poderá receber uma mensagem de “falha de transação”.

Queremos que estejam plenamente informados sobre essas mudanças antes de fazer transações na PS Store. Se você tiver dúvidas, entre em contato com a equipe de Suporte ao Cliente PlayStation em 4003 SONY (7669) (para capitais e regiões metropolitanas) ou 0800 880 SONY (7669) (para as demais localidades).

Agradecemos por seu apoio contínuo.

Não apenas a Sony pode ser afetada. Compras pelo Paypal, a Live e o Steam, que mostram os valores em reais, também, e pode acontecer de vermos mais taxas nos valores dos jogos no futuro ou mesmo mais atrasos quanto ao lançamento das versões nacionais dos jogos na PSN. Quanto a PSN Store brasileira, é mais um revés para a Sony Brasil, que tem uma loja digital de PlayStation com pouca popularidade: com as dificuldades em comprar na PSN Store brasileira para muitos consumidores brasileiros (por não aceitar cartões de crédito nacionais), a ausência de cartões pré-pagos similares aos da Amazon no varejo brasileiro e a prática de vender o game digital pelo valor da mídia física para os jogos que tem em Blu-Ray, nem todo mundo anda comprando na PSN Store BR, e acaba comprando na PSN americana por conta do jogo “retail” ser mais barato. Ainda mais hoje, com todos os principais lançamentos ganhando versões na PSN e lançamento no mesmo dia, como o Assassin’s Creed IV, Battlefield 4 e Formula 1 2013, que já tem pré-venda na PSN (por exemplo).

Vamos ver como que será o desenrolar dessa estória. A Sony pode ter sido pega se surpresa e a gente vai acabar tendo mais problemas para comprar jogos na PSN Store brasileira. Apesar de não fazer muitas compras e muitos nem tentarem, a loja é importante pro mercado nacional e os jogos digitais que não tem versões físicas são vendidos por aqui pela cotação do dólar a 2 reais praticamente, com jogos de 15 dólares saindo em torno de R$30,99, o que acaba sendo mais vantajoso do que comprar cartões pré-pagos e pegar na PSN americana.Por exemplo, lançamentos como o Dragon Fantasy Book II, o DuckTales Remastered e o Castle of Illusion, que são vendidos por US$ 14,99 nos EUA, por aqui saem por R$ 30,99, usando a mesma conversão de R$ 2 reais que existe desde o lançamento da PSN Store, em 2011.

Com essa barreira dos bancos, a empresa terá de fazer mudanças na loja ou haverá um êxodo ainda maior de consumidores, que optarão por comprar na PSN Store americana, fora os problemas na transação, desencorajando ainda mais os consumidores a gastarem com games na PSN brasileira.

[Dica do Marcelo]







Apoie o Select Game pela tag da Epic Store


Se você curte o Fortnite, gostou deste artigo e/ou usa a Epic Store, apoie a gente, para continuarmos com o nosso trabalho! Use a tag RODRIGOFGLIMA dentro do Fortnite ou na loja da Epic Store.

Apoie um criador Select Game