Fredrick Tendong - Foto Esports


O esporte eletrônico está crescendo cada vez mais. Com centenas de milhões de fãs em todo o mundo e bilhões de dólares em investimentos, muitos especialistas acreditam que um dia poderá ultrapassar o esporte físico como a atividade competitiva mais assistida do mundo.

Mas o dinheiro tem que vir de algum lugar. Além de legiões de fãs que estão dispostos a pagar por ingressos e mercadorias do e-sports, também há uma grande quantidade de empresas e marcas líderes que veem o esports como um investimento inteligente para o futuro. Embora alguns deles tenham gerado notícia por fazer parcerias e investimentos com equipes de esports, outros não são tão conhecidos. Este artigo dá uma olhada em alguns dos maiores nomes por trás dos eventos de esports.

Clubes de futebol

Os clubes de futebol já sabem há algum tempo o quão poderosa é a atração dos esportes eletrônicos. A probabilidade dos torcedores assistirem os jogos em casa e no estádio é a mesma, do mesmo jeito que apostam em cassinos online em vez de irem pessoalmente a um cassino físico, além de preferirem comprar pela Internet em vez de visitar um shopping. Os esportes eletrônicos se encaixam no mundo on-line atendendo ao seu amor por videogames e, se puderem ver seus times favoritos competindo nessa esfera, eles querem assistir.



Não é novidade que os principais clubes de futebol estão liderando o caminho aqui. O Paris Saint Germain foi um dos primeiros a entrar na indústria em 2016, inscrevendo uma equipe de e-sports em várias competições. Desde então, o Manchester City formou uma parceria lucrativa com a fornecedora de acessórios para esportes eletrônicos Turtle Beach, enquanto o Wolves se uniu ao gigante de mídia social Weibo para lançar sua própria marca de esportes eletrônicos.

PSG Esports Banner Logo

A riqueza dos melhores clubes e o apelo dos videogames prometem ser uma combinação vencedora nos próximos anos.

BMW, Domino’s Pizza, Lenovo (G2 Sports)

Frequentemente, as entidades de e-sports fazem acordos múltiplos para ampliar seu escopo no mundo dos negócios. A G2 Sports é um exemplo importante disso, apresentando empresas como BMW, Domino’s Pizza e, mais recentemente, Lenovo entre sua rede de parceiros.

O acordo com a Lenovo é a mais recente adição aos parceiros de hardware do G2, que também incluem Logitech e AOC. Eles patrocinarão os times da organização League of Legends e Fortnite, entre outros, o aumento do financiamento ajudará o G2 a atualizar seu software e treinar os jogadores.

A ramificação em diferentes setores faz todo o sentido para as empresas de e-sports, que buscam aumentar a exposição e também o investimento. E obviamente, a Lenovo não será a última parceira do G2.

Spotify (Riot Games)

Nem todos os negócios de e-sports são sobre dinheiro. A série League of Legends (LoL) da Riot tem sido um dos principais fatores por trás do aumento da popularidade dos e-sports eletrônicos na última década. O jogo atrai um grande número de jogadores em todo o mundo e há torneios regulares da LoL de alto nível.

Como tal, a Riot Games já é uma empresa muito rica. No entanto, em uma tentativa de se expandir para a indústria da música, a Riot se associou ao Spotify para aumentar a publicidade para formar uma parceria mundial.

Em 2018, a Riot criou o K/DA, um grupo de garotas virtuais que fornecia a trilha sonora para seus torneios de e-sports. Seu hit POPSTARS acumulou mais de 100 milhões de visualizações no YouTube apenas no primeiro mês e um show logo aconteceu na Coréia do Sul.

O grupo K/DA é uma parte fundamental da trilha sonora de LoL, que atrai milhões de ouvintes mensais do Spotify e não foi nenhuma surpresa quando as duas empresas fecharam um acordo em agosto de 2020. Prometendo um “universo de áudio inédito” para jogadores, a parceria deve durar vários anos, vendo o Spotify se tornar o centro oficial de todo o conteúdo de música LoL.

Sequoia Capital (Unity)

Nem todos os investimentos são novos. O interesse da Sequoia Capital na Unity Technologies remonta a 2009, quando eles anunciaram um investimento de $ 5,5 milhões na start-up após reconhecer o enorme potencial dos jogos online.

O investimento certamente valeu a pena. A Unity foi avaliada em 6 bilhões de dólares em 2019, com a Sequoia possuindo uma participação de 24,1% e não é preciso ser um matemático para descobrir que isso representa um enorme retorno sobre o investimento.

A chave para o sucesso tem sido o investimento da Sequoia em crescimento que contribuiu para o desenvolvimento de tecnologia da Unity. Seu mecanismo, considerado o mais popular do mundo e usado por quase metade de todos os jogos é a força motriz por trás da história de sucesso. Isso até levou Mark Zuckerberg a querer adquiri-lo, mas seu negócio não deu certo.

Investimento de celebridades

Investir em uma franquia em esportes eletrônicos requer uma grande quantidade de dinheiro. Embora a maioria de nós tenha que ganhar um prêmio na loteria para sequer pensar nisso, muitas celebridades têm dinheiro suficiente para fazer um investimento.

Recentemente, Will Smith chegou às manchetes quando ajudou a concluir uma rodada de investimentos no valor de $ 46 milhões na organização de esportes eletrônicos Gen.G. Com outras celebridades a bordo, como o jogador de futebol japonês Keisuke Honda, ele quer ajudar o Gen.G a quebrar o crescente mercado japonês competindo nos populares torneios Clash Royale e Fortnite.

Não foi apenas o Gen.G que atraiu superestrelas. A organização “100 Thieves” que forma equipes nas ligas Call of Duty e League of Legends, agora possui Drake como coproprietário. O rapper se apaixonou por esports depois que sua partida no Fortnite contra o popular streamer de jogos Ninja Blevins atraiu 628.000 espectadores no Twitch.

Streamer Ninja - Twitch

Com estrelas como Michael Jordan, Sean ‘Diddy’ Combs e Odell Beckham Jr. também investindo pequenas fortunas, os e-sports eletrônicos são uma grande atração no mundo do showbiz.

O apelo contínuo dos e-sports

Há um sentimento na indústria de e-sports de que podemos ter visto apenas a ponta do iceberg no que diz respeito a investimentos. A crise do COVID-19 acelerou a popularidade dos jogos online, com mais pessoas jogando em casa. As previsões preveem que a receita chegará a 1,5 bilhões de dólares em 2023, quase o dobro comparativamente há dois anos atrás, e onde quer que haja crescimento, haverá mais investimento. Então, não se surpreenda se em um futuro próximo for anunciado um mega-investimento nessa área.

(Foto de topo por Fredrick Tendong em unsplash. Foto do Ninja via Instagram)







Apoie o Select Game pela tag da Epic Store


Se você curte o Fortnite, gostou deste artigo e/ou usa a Epic Store, apoie a gente, para continuarmos com o nosso trabalho! Use a tag RODRIGOFGLIMA dentro do Fortnite ou na loja da Epic Store.

Apoie um criador Select Game