Evo Moment 37 - Example Index


Evo Moment 37 - Example

Dos principais eventos de games da atualidade, um deles é o Evolution. O EVO (como é mais conhecido) é uma competição de jogos de luta que acontece nos EUA e este ano aconteceu algumas semanas atrás, reconsagrando o Justin Wong como o melhor jogador do mundo em Ultimate Marvel Vs Capcom 3. Claro que estamos em 2004 e alguns jogos são mais impressionantes de se ver em um streaming, como o próprio Marvel vs Capcom e o Street Fighter III 3rd Strike. O Evo Moment 37 é uma sequência de Parries (defesas) que o japonês Daigo Umehara fez contra o Justin Wong, em 01 de agosto de 2004. Daigo estava na desvantagem e quase perdendo, e consegui um feito impressionante, virando o combate e vencendo a luta!

O Fábio Santana, hoje gerente de relações públicas da Capcom brasileira, comentou sobre isso no Facebook. Vou deixar só um trechinho aqui, e confiram o post dele lá, que tem muitos detalhes sobre esse momento histórico para os videogames. Ah, assista o vídeo antes, leia o texto dele abaixo e reveja o vídeo. Chega a ser ainda mais surpreendente esse feito do Daigo, que saiu do evento como o “The Beast”:



O momento
– Restando 28 segundos para o fim do round que parecia definido, alguém grita “Let’s Go Justiiiiiin” (virou grito de torcida sempre que Justin está jogando uma partida importante desde então).
– Do outro lado da tela, Justin Wong faz um chute overhead da Chun-Li para tentar fisgar um golpe de Daigo e deixá-lo vulnerável (básico da tática conhecido como “footsies”), então dá um soquinho fraco e emenda seu Super Art Houyoku-sen, um golpe que tem invencibilidade no início (ou seja, atravessaria um eventual Hadouken), cruza metade da tela e faz uma sequência de chutes que acerta o oponente 17 vezes, mandando-o para o ar.
– Daigo não poderia soltar Hadouken, pois o golpe de Justin atravessaria. Daquela distância, provavelmente não conseguiria pular por cima, nem fugir para trás. Se defendesse um só hit, perderia. Era a jogada certa de Justin.
– Mas existe o Parry, um recurso de defesa ofensiva extremamente difícil de dominar.
– Para fazer o Parry, é preciso apertar para frente no exato instante em que o golpe do oponente acertaria seu personagem, em vez de segurar para trás para defender. Sim, é preciso ter coragem e estar bem certo do que se está fazendo. Balanço perfeito de risco e recompensa.
– No momento do Parry, o seu personagem e o objeto aparado (pode ser um projétil ou o próprio oponente, como no caso) ficam congelados por 16 frames (o jogo se move a 60 frames por segundo, então 16 frames = cerca de 0,26 segundo).
– Após esse congelamento, seu personagem se recupera imediatamente e fica pronto para a ação, enquanto o objeto aparado continua sua animação e fica vulnerável.
– Porém, golpes que acertam múltiplas vezes exigem um Parry para cada hit.
– Para aparar completamente o Houyoku-sen da Chun-Li, é necessário fazer 15 Parries. Apenas segurar para frente não basta, são preciso 15 toques. O timing entre os hits não é uniforme. São dois blocos de 7 Parries (quatro rápidos, pequeno intervalo, mais três rápido) separados por uma pequena pausa, depois uma pausa mais longa para aparar o chute final. Estamos falando de uma exigência de precisão de centésimos de segundo para fazer Parry com sucesso em todos os hits.
– No nível profissional, é bastante comum que os jogadores prevejam ataques e utilizem o Parry para aparar golpes individuais, talvez até alguns múltiplos hits com intervalos regulares. Mas o nível de maestria necessário para parar completamente um golpe complexo como este Super Art da Chun-Li não é esperado numa partida real, muito menos numa derrota quase certa, muito menos numa partida decisiva de campeonato, muito menos com toda a torcida contra você. Era o golpe da vitória de Justin…
– Mas Daigo parou. Cada. Único. Hit. Todos. Quinze Parries no total.
– E não apenas isso: antes do último hit, Daigo pulou para aparar o golpe derradeiro no ar. Assim, ao final da sequência, Daigo estava acima de Justin, caindo, posicionado para o combo perfeito, exato, suficiente para nocautear a Chun-Li de Justin: voadora com chute forte, rasteira com chute médio, cancelamento com Shoryuken com soco médio, cancelado com Super Art Shippu Jinraikyaku (dois quartos de lua para frente com chute). Uma sequência complexa e rápida. Se Daigo errasse, provavelmente ficaria vulnerável e perderia para qualquer golpe da Chun-Li.
– A execução foi perfeita. O dano, preciso. A tela brilhante de KO com Super apareceu na subida final do Super Art de Daigo, com apenas mais alguns hits de sobra. Cálculo milimétrico.

O resultado
– Aquela Losers Final entre Justin e Daigo continuou entre os dois imediatamente na sequência, como se nada tivesse acontecido, enquanto a plateia ainda estava em êxtase efusivo pela façanha.
– Justin ganhou o round seguido. Daigo ganhou o segundo. Depois levou o terceiro quase de perfect e seguiu para a grande final.
– Daigo perdeu o torneio de SFIII3rd no Evo 2004 contra Kenji “KO” Obata (que havia sido campeão do mesmo jogo no Evo 2003, contra o mesmo Daigo, sempre jogando de Yun): https://www.youtube.com/watch?v=rsjcWkCViXw

Confiram o relato completo do Fabão aqui!







Apoie o Select Game pela tag da Epic Store


Se você curte o Fortnite, gostou deste artigo e/ou usa a Epic Store, apoie a gente, para continuarmos com o nosso trabalho! Use a tag RODRIGOFGLIMA dentro do Fortnite ou na loja da Epic Store.

Apoie um criador Select Game