Lançado esta semana nos PCs e consoles, Call of Duty Warzone é a versão “battle royale” do Modern Warfare, usando a engine e compartilhando as mesmas recompensas cosméticas entre os 2 jogos. Warzone veio gratuito e meio que pode ser a porta de entrada dos jogadores tanto pra franquia ou mesmo incentivar o jogador a comprar o MW mais recente, e nos primeiros dias o game já passou de 6 milhões de jogadores, um número bem maior do que a quantidade conseguida pelo Apex Legends no mesmo período ano passado.

Warzone veio com 2 modos de jogo: o battle royale e o “Saque” (Plunder). O battle royale tem o mesmo esquema de jogos como o Fortnite, PUBG e o Free Fire: você cai de paraquedas num mapa enorme e tem de sobreviver, em um mapa onde a área segura vai ficando cada vez menor. Cada sessão tem 150 jogadores, e uma adição que aumentou o tempo das partidas é o “Gulag”: os famosos campos de concentração soviéticos é uma espécie de “segunda chance”: caso você morra na partida, irá pro Gulag e terá uma chance de retornar, bastando eliminar o seu adversário, em um local que lembra um banheiro da prisão. Este momento é baseado na Gunfight, um dos modos de jogo do Modern Warfare, mas é 1×1, e na maior parte das vezes você e seu oponente estão de pistola. Quem vencer retorna na partida e desce novamente de paraquedas.

Com isso, as partidas se tornam bem mais demoradas do que no Fortnite, e acaba sendo um pouco mais imersivo: por ser um FPS, o mapa aparenta ser bem maior, tem muitas locações internas e você pode ir pegando suprimentos e grana, pra comprar nas estações de equipamentos algum equipamento adicional ou recurso. Com isso você acaba tendo de vasculhar os locais internos sempre atrás de alguma caixa de suprimentos que não deve ter sido usada anteriormente.



Da parte gráfica, tem 2 detalhes que quero mencionar: como fazia algum tempo que eu não jogava o jogo (e pretendo terminar a campanha do MW, que eu tinha parado anteriormente) eu acabei deixando que o jogo setasse a “melhor configuração” de acordo com o meu PC, mas teve um detalhe que eu só percebi depois: a questão da “resolução da renderização”. Na terça-feira, quando o jogo saiu, eu vi que o gráfico do jogo estava meio “pasteurizado”, e com um visual bem abaixo do que eu achava que seria, com muito excesso de anti-aliasing, e estava achando estranho, ainda mais por ter uma GeForce RTX 2070 e pelo jogo ter suporte ao Ray Tracing. No primeiro dia meio que deixei essa questão de lado, mas ontem, ao abrir algumas lives de outros jogadores na plataforma, vi que o jogo tava com um visual melhor e com isso decidi vasculhar as configurações gráficas: eu tentava priorizar mais desempenho do PC, mas cheguei a deixar quase todas as configurações em alto. Mas o visual não melhorava. Veja abaixo um exemplo, do tutorial:

Call of Duty Warzone - PC Screenshot - Resolução de Renderização entre 60 e 70 - Tutorial

Então decidi entender as configurações gráficas e cheguei na “resolução de renderização”, e vi que era essa a opção pra deixar o jogo com um visual melhor, e com isso eu aumentei de 60 pra 150, e a resolução ficou bem acima de 4K. A diferença visual é significativa.

COD Warzone - Resolução de Renderização

Antes:

Call of Duty Warzone - PC Screenshot - Resolução de Renderização entre 60 e 70

Depois:

Call of Duty Warzone - PC Screenshot - Resolução de Renderização acima de 140

O visual ficou bem mais nítido à distância.

Minha única ressalva sobre o Warzone é que o modo de battle royale não separa por quantidade de jogadores. Se você for sozinho irá confrontar jogadores que estarão de esquadrão com até 3 jogadores, e isso acaba sendo desbalanceado: com alguma sorte você pode avistar um adversário e eliminar ele, mas se ele estiver de esquadrão, o aliado dele poderá te flanquear e te eliminar. Ou mesmo os 3 jogadores te avistarem e mesmo com colete você terá poucas chances de sair ileso e vivo.

Ou seja: não vale a pena tentar jogar sozinho, diferente de jogos como o Fortnite, e com isso você terá de: ou ter mais 2 amigos e jogar juntos, ou setar pra preencher e jogar com mais 2 jogadores aleatórios, mas com risco de toxicidade, algo que vejo com alguma frequência em games do gênero. Talvez eles podem ter optado por isso pra ter sempre salas cheias, mas o jogador mais casual pode ter problemas e desanimando de jogar com frequência.

Veja Também

Como o Warzone foi lançado esta semana e teve uma quantidade expressiva de jogadores, acredito que a Activision deve melhorar o jogo com o passar do tempo, com otimizações e melhorias de qualidade de vida. E com o passe de batalha do Modern Warfare, e da experiência do passe de batalha ser compartilhada entre os 2 jogos, provavelmente eles podem ter um passe de batalha único pros 2 jogos, e que acaba incentivando os jogadores a irem pro MW, que tem a campanha e outros modos de jogo multiplayer.







Apoie o Select Game pela tag da Epic Store


Se você curte o Fortnite, gostou deste artigo e/ou usa a Epic Store, apoie a gente, para continuarmos com o nosso trabalho! Use a tag RODRIGOFGLIMA dentro do Fortnite ou na loja da Epic Store.

Apoie um criador Select Game





Paganini Mixer