Xbox One Console

A Microsoft anunciou nesta terça-feira nos EUA o seu novo console, que foi batizado de Xbox One, com um design totalmente preto e já mostrando a aparência oficial do console. Segundo o UOL Jogos, o Gematsu e o Xbox Wire, o novo console será lançado já no final de 2013. Segundo outra matéria do UOL Jogos, aqui no Brasil a Microsoft comentou que o Brasil está no radar da fabricação do console, mas não deram detalhes. Para Craig Davidson, diretor de marketing do Xbox, o Brasil “faz parte do primeiro escalão” e pode ser que eles anunciem novidades na E3.

Davidson disse que ainda não pode confirmar a fabricação local do Xbox One, mas afirmou ter grandes esperanças de que isso esteja nos planos da Microsoft: “Quem sabe a gente fale mais sobre isso na E3”, deixou no ar.

A arquitetura principal terá CPU com 8 Cores, com 8 GB de RAM, USB 3.0 (bem mais rápido que os normais), Drive Blu-Ray, 500 GB de HD, arquitetura nativa de 64-bit e 5 Bilhões de Transistores. Na parte de software são 3 sistemas operacionais: o Windows, o novo Xbox e uma que conecta ambos os sistemas. Durante a conferência foi frisado novamente que eles querem lançar um “centro de multimídia”, integrando aplicativos diversos com vídeo, música, Web e Skype. Na apresentação eles exibiram alguns dos novos recursos da nova Dashboard, como o uso do Skype automaticamente enquanto o jogador estiver assistindo a um filme, conexão com um conector de TV para trocar rapidamente para a TV usando voz (exemplo: dizer “Xbox, TV”, entre outros comandos de voz) e o Kinect virá aprimorado, podendo captar imagens a 1080p de resolução. Abaixo tem um vídeo da Wired, mostrando um pouco mais do sensor de captura de movimentos:



Ainda na parte técnica, foi citado que o console terá entradas HDMI In/Out, e não foi citado outros tipos de saídas de vídeo. Pode ser que a nova geração sepulte de vez as TVs analógicas para uso de videogames de ponta. E dos 8 GB de memória, 5 serão dedicados aos jogos e 3 GB serão usados pelo console. Os games deverão ser instalados no HD, e com o jogo já instalado não será necessário inserir o disco no leitor. Já o novo joystick é similar ao do Xbox 360, com a cor preta e 40 novas funcionalidades, além de uma bateria integrada.

Xbox One Controller Joystick

Sobre a Xbox Live, ela estará mais melhorada e usará 300 mil servidores em todo o mundo. Sobre a Live Gold, a mesma assinatura poderá ser usada em ambos os consoles (Xbox One e X360). Num FAQ postado no site oficial também foi citado também que o jogador poderá usar a mesma Gamertag, e os pontos e conquistas poderão ser carregados também para o Xbox One.

A “nuvem” também será usada, oferecendo uma experiência maior e melhor, com as produtoras podendo criar mundos persistentes (acredito que o Destiny usará bastante essa funcionalidade), updates automáticos de games e do sistema (eliminando a espera pelo download de uma atualização), os jogos e outros entretenimentos disponíveis poderão ser gravados na nuvem e acessados de qualquer lugar e em qualquer Xbox One (dependendo das condições geográficas, o que pode eliminar algumas funcionalidades aqui no Brasil), começar um game, filme ou assistir TV em um console e terminar exatamente onde parou em outro console, jogar multiplayer e aproveitar dos recursos de comunidade e conectividade social da Live.

A captura de gameplay dos jogadores também estará presente. Segundo o Polygon, Ben Kilgore, da Microsoft, comentou que o console poderá armazenar em um buffer e gravar depois no disco rígido, e as produtoras poderão setar nos games os “momentos mágicos” de uma progressão, quando elas definirem determinados momentos épicos, como atirar 10 tiros na cabeça em sequência ou mesmo um momento “impressionante”, como capturar a bandeira e chegar na base nos segundos finais de uma partida e virar o jogo. O disco rígido também irá usar “truques inteligentes ” de gerenciamento de RAM para armazenar corretamente no HD, e eles estão analisando essa parte cuidadosamente para que o desempenho não seja prejudicado.

Xbox One Console Controle e Kinect

Durante a conferência, o Andrew Wilson, da Electronic Arts, anunciou os primeiros jogos da empresa para o Xbox One, como Fifa 14, NBA Live 14, EA SPORTS UFC e Madden 25. Os jogos usarão a EA Sports Ignite, nova engine da próxima geração da produtora, que promete “jogadores que pensam, movem e se comportam como atletas de verdade, em mundos vivos e dinâmicos, transformando tudo aquilo que as pessoas pensam sobre os consoles da próxima geração”. Em um press-release enviado pela assessoria de imprensa, a engine também foi confirmada para o Playstation 4. Ainda segundo o release, a engine “irá mesclar o melhor das tecnologias em termos de textura, tempo de processamento de física, animações, inteligência, locomoção e sistemas online de toda a EA em uma poderosa e nova engine”

Atletas terão a inteligência para tomar decisões avançadas, com a agilidade necessária para mudar a velocidade e a direção com autênticas movimentações, e mundos vivos trarão as mais ricas experiências de jogos com estádios e arenas dinâmicos.

No Fifa 14, o novo console terá conteúdo exclusivo do Ultimate Team, mas não foi citado detalhes adicionais. Abaixo tem o primeiro vídeo oficial mostrando os games de esporte da produtora para a nova geração:

Após a parte da EA, Phil Spencer, da Microsoft Studios, foi ao palco para comentar sobre as exclusividades do novo console, e mostrou o primeiro trailer oficial de Forza Motorsport 5, mostrando um visual impressionante, iluminação e focando também nos detalhes visuais e na modelagem dos carros:

Outro jogo anunciado, mas que teve poucos detalhes é o Quantum Break, o novo game da Remedy (que desenvolveu a série Alan Wake). O trailer não mostra quase nada, mas se a parte da ponte for em tempo real, essa parte já impressiona bastante, e talvez, pelo nome, o game tenha alguma relação com “quebrar as leis da física”:

Já a Nancy Tellem, chefe do Xbox Entertainment Studios, foi ao palco anunciar uma parceria da 343 Studios com o Steven Spielberg, para produzir uma série live-action de Halo. Provavelmente a série substituirá o filme que eles estavam tentando fazer e nunca foi muito pra frente. Já com uma série a Microsoft terá mais controle criativo, e com o Steven Spielberg por trás, espero ver uma série com a mesma qualidade que “Band of Brothers” e “The Pacific”, duas das melhores séries da Dreamworks e com uma qualidade digna de um filme de ponta.

Para fechar a conferência, quem gosta da parte técnica vai gostar bastante dos vídeos da Activision sobre o Call of Duty: Ghosts, o próximo game da série que irá sair para a nova geração. Primeiro foi anunciado que o Stephen Gaghan, roteirista que ganhou o Oscar por Traffic e diretor/roteirista de Syriana, estará por trás do enredo do game. Eles também anunciaram o o óbvio: os conteúdos extras do novo console serão lançados primeiros para o novo console, como sempre acontece com os games da série, onde o Xbox 360 recebe os DLCs primeiro. Depois foi exibido um vídeo técnico mostrando a nova engine e mostrando as diferenças entre o Modern Warfare 3 e o Ghosts, com modelagem mais impressionante dos dedos dos personagens, texturas bem mais realistas, uma floresta tão impressionante quanto o Crysis 3 e um pastor-alemão com muitos detalhes na modelagem e texturas, que fará parte do seu esquadrão. Eles também estão fazendo captura de movimentos do cão. Confira os vídeos:

No FAQ oficial também foram publicadas algumas respostas a alguns dos rumores mais complicados que saíram pro console. Não será necessário ter o console “sempre online”, mas o aparelho precisará conectar à internet para funcionar, e o console continuará rodando os games e usando a TV se a internet ficar inacessível. Só que, dependendo da produtora, eles podem optar por fazer um game “sempre online”, e eles querem que as produtoras façam isso, o que já é um sistema anti-pirataria.

Já a questão dos games usados é o ponto mais complicado. O Larry Hryb (Major Nelson) comentou no seu site oficial que o jogador poderá usar o game em outro console, mas terá de usar o mesmo perfil do jogador. Ou seja: teremos bloqueio de jogos usados no console. No FAQ da Microsoft é citado que os jogadores poderão trocar e/ou revender, mas eles ainda não deram detalhes sobre isso. Acredito que parte da grana de uma venda digital pode ser repassada para a produtora, mas essa parte é especulação minha. Comentado com o Diego, ele citou que pode acontecer igual ao Mercado Livre: o vendedor insere um valor mais baixo para que a produtora não receba um valor maior, e pode ocorrer uma negociação “por fora”.

Outra possibilidade é de ter uma “tabela de preços” para as vendas “digitais”/códigos de liberação da mídia, complicando a vida de muita gente. Muitas negociações entre jogadores tem preços mais justos ou o jogador coloca um preço barato para vender rapidamente algum game mediano/mais antigo. Mas para as lojas será um golpe tremendo, pois elas pegam os games a preços muito baixos e revendem ganhando uma porcentagem enorme de lucro. As empresas não gostam da política de jogos usados, e com esse agravante (que com certeza elas devem saber) acaba ficando pior inclusive pro jogador. Mas o complicado seria a Gamestop fazer um boicote ao console e aos jogos por conta de uma política dessas, pois eles são a maior rede de lojas dos EUA.

Xbox One - Dashboard Home User Interface

O Xbox One também não será retrocompatível com o Xbox 360, o que seria meio óbvio. As arquiteturas dos videogames são diferentes e eles não iriam inserir chips e outros componentes para aumentar ainda mais o custo do console, além de que eles não querem uma explosão de vendas de consoles usados. Como o Ricardo Bicalho comentou no Twitter: basta continuar com o aparelho antigo, sem precisar vender.

Agora que a Microsoft chegou pra valer na nova geração, e tanto o Xbox One quanto o PS4 tem suas vantagens e desvantagens. A parte dos jogos usados pode pender a balança para o Playstation 4, que já anunciou que o console rodará games usados, mas essa parte ainda é um pouco nebulosa, e até mesmo a Sony pode arrumar alguma maneira de inserir DRM. Com os games tendo a obrigatoriedade do “sempre online” para outras funcionalidades, as produtoras podem inserir “DRMs” escondidos, como nos games Watch_Dogs e Assassin’s Creed IV, que prometem ter conectividade interna e uso dos recursos online dos novos videogames. Já o novo Kinect também é interessante, mas pode gerar outros problemas: se programarmos o Kinect para ligar o console por voz, pode acontecer de alguém nada casa do jogador ligar o videogame “por engano” e deixar ele ligado durante o dia, consumindo energia elétrica. Outro fato surreal é que durante a conferência ontem apareceram relatos de gente que teve problemas na transmissão por conta do Kinect dos jogadores serem acionado pelos palestrantes, e não tinha ideia de que isso poderia acontecer.

Dos jogos já confirmados pelas produtoras, alguns dos games anunciados para o Playstation 4 também estarão no Xbox One: Assassin’s Creed 4, o novo Thief, Battlefield 4, Destiny, Watch_Dogs, Ryse e os já citados Call of Duty: Ghosts, Forza Motorsport 5, Quantum Break, Fifa 14, NBA Live 14, EA SPORTS UFC e Madden 25. Provavelmente o The Witcher 4: Wild Hunt também será confirmado pro novo console. A Microsoft também promete ter 15 jogos exclusivos no primeiro ano e 8 propriedades inéditas, como o Quantum Break.

Já o Ilumiroom não foi citado na conferência. Talvez a tecnologia ainda esteja muito crua ou eles estejam preparando algo para a E3. Ou pode ser apenas um acessório que será lançado no futuro, o que será também outro diferencial tremendo. Na E3 a Microsoft promete muitas novidades, tanto pro X360 quanto pro Xbox One, e traremos o máximo de novidades que pudermos!

E você? Curtiu as novidades do novo Xbox? Vai escolher ele no lugar do Playstation 4? Vai querer comprar o PS4 no futuro? Deixe o seu comentário!

[Fotos via Site oficial e Wired]