call of duty black ops 2

Depois de um final de semana dedicado a jogar games de guerra, a semana continuará no mesmo estilo. Sai o Spec Ops: The Line e entra o Call of Duty: Black Ops II. A “novidade” no game mais recente da série “anual” são as fases de “Força de Ataque”, que são fases com gerenciamento de tropas no estilo de games de estratégia, com missões de resgate, defesa de pontos em uma base e escolta de comboios, podendo controlar personagens em terra e visualizando a área de cima, vendo a localização das suas tropas e ordenando ordens de ataque para os seus soldados e robôs quadratores e vants (aqueles robôs terrestres que caminham com 4 patas e aqueles que planam no estilo Ghost Recon: Future Soldier).

Logo de cara eu não gostei muito dessas fases do Black Ops II, pois é bem mais difícil ter uma visão geral e pensar rápido, e queria a ação clássica. No começo eles disponibilizam 3 unidades de Forças de Ataque, e perder a partida é perder uma unidade, durante toda a progressão, sem poder voltar e ficar tentando várias vezes seguidas, diferente da progressão clássica quando o jogador trava em algum ponto. São missões opcionais e relacionadas com o enredo, mas talvez a vitória ou derrota tenham influências diretas na progressão ou talvez no final do jogo. Ou simplesmente “deixar pra lá” pra ver o impacto negativo na sua guerra contra os terroristas, e as missões extras ficam disponíveis até certo ponto da progressão. Eu até que consegui um milagre ter conseguido concluir com sucesso as missões, pois perder significava não ter mais as chances de prosseguir nesse tipo de missão. Acaba fazendo um pouco de sentido, pois um exército não pode ficar tentando várias vezes uma missão por conta das baixas, e falhar em uma missão, na realidade, não dá uma “nova chance” dependendo da situação em si.



Provavelmente irei fazer uma análise do game nas próximas semanas e devo comentar mais sobre o game de maneira geral. Tanto do Call of Duty quanto do Spec Ops: The Line, que tem um enredo “mais forte” do que os jogos de tiro convencionais. O multiplayer do Spec Ops também não incentiva muito a ficar evoluindo, e achei as partidas mais melancólicas. Acho que eu curto mais os multiplayers da série Assassin’s Creed e Killzone, por terem mais incentivos como troféus extras, novos ítens para desbloquear e a carnificina no game de tiro da Sony. Os Call of Duty também tem um multiplayer muito bem-feito e que raramente não falham nas partidas, apesar de todos os hacks dos jogadores mal-intencionados em games anteriores, desanimando o jogador que quer apenas se divertir e ter mais chances de ganhar em partidas mais honestas.

Outras opções de games na semana são o Skyrim e o Assassin’s Creed: Revelations. Ainda não terminei a progressão do game da Ubisoft, e quero ver se pelo menos eu termino ela antes de pegar novamente o Assassin’s Creed III emprestado, para ter um entendimento melhor do enredo e das influências que o Assassin’s Creed III tem dos anteriores (se é que tem alguma). Tudo em preparação para o Assassin’s Creed IV, que terá mais informações durante a semana. Não que o Select Game tenha virado um blog dedicado à série: eu curto ficar postando sobre games que eu me interesso diretamente em jogar, mas fica meio complicado escolher entre jogar e investir o tempo livre nas pautas que sempre aparecem, e aí eu quis jogar nestes últimos dias para aproveitar as oportunidades de locação que aparecem de vez em quando. Já que ultimamente a grana anda mais curta que antigamente, também não posso ficar alongando na locação, mas de certa forma acaba sendo mais interessante para não comprar o game completo e gastar 200 reais por jogo, ainda mais em jogos mais curtos. A indústria, claro, não vê com bons olhos, mas acaba sendo a chance de poder experimentar os jogos, e de certa forma não iria comprar eles tão cedo, por optar por comprar outros games que sejam mais interessantes. Outros jogos não iria comprar de qualquer forma, e acaba sendo também uma “publicidade gratuita” do game por aqui, e muitos podem se interessar dependendo do jogo. Muitos jogos interessantes não entram no radar da maioria, talvez por não ter tanto marketing, talvez pelas séries mais conhecidas terem mais posts nos blogs e sites de games, alimentando o hype.

E você? Vai jogar algum game durante a semana? Deixe o seu comentário!







Apoie o Select Game pela tag da Epic Store


Se você curte o Fortnite, gostou deste artigo e/ou usa a Epic Store, apoie a gente, para continuarmos com o nosso trabalho! Use a tag RODRIGOFGLIMA dentro do Fortnite ou na loja da Epic Store.

Apoie um criador Select Game