O que você jogará neste final de semana? (214)

Ni No Kuni Wrath of The White Witch Combat System Screen

Está aberta a temporada de sequências de jogos longos e posts de final de semana com os mesmos jogos, para a felicidade de alguns, infelicidade de outros, etc etc etc. Novamente o game principal deste final de semana é o Ni No Kuni: Wrath of The White Witch, o RPG “fofinho” da Level 5 que teve um início relativamente problemático. Onde já se viu tomar 3 Game Overs seguidos no início da segunda (repetindo: a segunda) dungeon do jogo? Pois é, o sistema de batalhas é relativamente estranho de assimilar, pois no caso o jogador seta um “familiar” e insere na batalha, lutando no seu lugar, mas compartilhando a suas barras de energia e magia.

O começo do game não tem muita dificuldade, mas após as primeiras horas os inimigos ficam mais desafiantes e eu tinha de passear mais pela arena pra sair golpeando a esmo os oponentes. Aí o jogador ganha mais confiança, mas depois de 2 lutas eu tomei o segundo Game Over da progressão por bobeira, por “tentar ir jogando sem curar”, e aí sim eu vi o “sistema de punição”. A “escola” Demon’s Souls” formou bem o Ni No Kuni (depois da Escola Pokémon), pois ao morrer o jogador pode optar por continuar, mas acaba perdendo toda a grana que ele adquiriu até aqui. Entre continuar de onde eu parei e recomeçar do save, preferi a segunda opção, tentando jogar de maneira mais conservadora, mas ainda assim tomando mais alguns Game Overs direto.

De certa forma o Ni No Kuni não é difícil e se o jogador ficar farmando por algum tempo, fora o recurso de “alimentar” o familiar, ganhando atributos extras para eles ficarem mais fortes. Como nas localidades eu sempre opto por enfrentar todas as batalhas que aparecem na minha frente, isso acaba servindo um pouco de grinding, e “meio que prepara o jogador” para as batalhas contra os chefes, que também tem desafios. Depois das primeiras horas de jogo eu percebi que nas batalhas comuns eu vou com um familiar-guerreiro para ataques comuns e sem precisar usar magias, e nos chefes é melhor ir com o Oliver (o garoto e personagem principal) para desferir magias de fogo e cura de longe, facilitando para não ser atingido facilmente com inimigos que desferem danos físicos.

Ni no Kuni Combat Screen Mitey

Posteriormente, no World Map, eu também descobri que. na verdade, a “punição do Game Over” é perder 10% da grana que você tem, o que se torna uma punição menor, mas quando fiz isso eu voltei pra saída de uma dungeon (antes de ir para um deserto na segunda área de mapa do jogo). Para poupar esforço e tempo, acabei voltando pro último save mesmo, pois estava alguns metros “mais adiante” na mesma área. Com um pouco de grinding qualquer RPG fica mais fácil, e outro detalhe bem legal que eu curti no Ni No Kuni é que neste os inimigos fogem de você quando você está claramente mais forte. Nessas horas eu prefiro deixar pra lá e não sair correndo atrás deles, apenas enfrentando inimigos que querem mesmo um combate. Tem horas que eu fico com dó de enfrentar inimigos, e algumas vezes eu penso naquele jogador do World of Warcraft que conseguiu evoluir sem precisar matar ninguém, sendo um ótimo pacifista. Mas acho que se eu fosse mesmo um pacifista só jogaria puzzle e não iria curtir um FPS visceral ou mesmo um God of War, e acho que depende mesmo da sensação que você adquire ao jogar determinados games. Mais fácil ser “sentimental” ao jogar o Ni No Kuni do que um Modern Warfare ou um Killzone.

O segundo game do final de semana é Tomb Raider. Não que eu não tenha gostado do jogo. Eu que ando protelando a progressão, talvez por ter conseguido o Ni No Kuni, talvez por não querer jogar um game “mais hardcore”, ou talvez por ter ficado a maior parte dos dias postando posts por aqui e tentando arrumar uma nova ocupação trabalhista. Enfim, vamos ver se desta vez vai, pois ainda quero fazer uma análise do game por aqui!

Magic 2013 Game Portugues Brasil

Correndo por fora, decidi voltar a jogar o Magic 2013: Duels of Planeswalkers, para me preparar para a versão 2014 que pode sair nos próximos meses.  Aliás, até mesmo no Magic eu andei tomando umas derrotas homéricas contra um oponente com um deck verde. Eu tento ir com um deck vermelho baseado em dano direto e fico me gabando de determinada mão e estratégia na partida, mas aí acontece alguma “sorte” do oponente e eu “tomo na asa”. Por exemplo, quando um oponente consegue acumular algumas criaturas na mesa com “atropelar” (capaz de passar “por cima”, atropelando a defesa e com o dano excedente indo pro jogador) a situação se complica, acarretando uma derrota dependendo da situação.Irei tentar continuar a progressão neste final de semana, fazendo apenas as partidas obrigatórias contra oponentes, pois algumas vezes eu não gosto muito de  “pensar demais” nas partidas de challenges e afins, que tem alguns puzzles relacionados com as regras do card game. To virando um autêntico jogador de FPS mesmo, só querendo visceralidade e “jogar no automático”, gerando um paradoxo com o que eu comentei acima, de ser “pacifista”. Acho que eu ando meio maluco nos últimos dias mesmo!

Por fim, nas últimas semanas a gente entrou para o MuccaBlogs, um site que tem uma loja e também tem uma parte de blogs, com diversos blogs e sites de notícias, similar a um agregador de conteúdo. Caso você use o site, você pode nos encontrar por aqui.

E você? Vai jogar algum game neste final de semana? Deixe o seu comentário!

POSTS RELACIONADOS