Paganini Mixer

Recentemente surgiram rumores de uma continuação de Overwatch, que pode finalmente ser revelada na Blizzcon 2019! Overwatch 2 pode ser o game que muitos precisam pros jogadores retornarem à série, após terem jogado bastante o primeiro game, que foi totalmente focado no multiplayer, se tornou um fenômeno, mas que acabou ofuscado posteriormente pelo Fortnite.

A Blizzcon 2019 é o principal evento de games da Blizzard, acontecendo todo ano em Anaheim, na Califórnia, no mês de novembro. Este ano será nos dias 01 e 02 de novembro, com a cerimônia de abertura começando as 15h00 (horário de Brasília).

Mas o que esperar de Overwatch 2? Decidi listar algumas coisas que podem ter no game e que são sempre muito apreciados pelos jogadores. Confira:



Campanha de 1 jogador (PvE/Single Player)

Certamente o modo mais esperado pelos jogadores, principalmente depois de termos visto tantos curtas de animação, os backgrounds ricos de cada personagem e o ambiente futurista. Tivemos um vislumbre disso nos eventos de “Arquivos”, mas o desse ano foi bem criticado por ter sido curto demais.

Com uma campanha single-player podemos ter diversas abordagens, além deles também tentarem sempre algo similar ao Destiny e aos próprios eventos de Arquivos, usando todos os cantos de mapas e economizando assets. O evento de Insurreição em King’s Row é um modelo que acho interessante, e assim ter uma boa duração do game.

Overwatch - Reaper Screenshot

Ter também sempre novos conteúdos de história, mesmo pagos, pode ser também interessante, com focos nos personagens.

Crossplay entre consoles e PCs

Com o crossplay liberado pela Sony no PlayStation, ter isso na campanha será bem interessante para que amigos de diferentes plataformas possam jogar o game. Com a Activision, a Blizzard pode pedir suporte a eles, já que o Call of Duty: Modern Warfare lançado esta semana tem suporte ao cross-play.

Não ter isso limitaria o matchmaking, mas também se não ter, o jeito será torcer pra ter muitos jogadores sempre, caso a campanha tenha forte apelo cooperativo.

Cross-save (Cross-transfer) entre as plataformas

Não sei dizer se o termo correto seria um “cross-transfer”, mas cito do jogador acessar os conteúdos cosméticos em outra plataforma, caso ele migre de um console pra outro, ou que acabe indo pro PC, similar a um cross-save entre os consoles da Sony. Com o primeiro jogo com forte apelo cosmético, com skins temáticas e itens exclusivos que os jogadores foram ganhando com o passar do tempo (como as skins da D.Va e da Mercy Rosa) muitos jogadores gostariam de conseguir acessar esses conteúdos.

Mercy Pink - Overwatch Skin with dress

Hoje em dia o Destiny 2 implementou isso com o lançamento do jogo no Steam, mas teve a questão dos conteúdos pagos, que não davam pra ser transferidos entre as plataformas (tipo a expansão Renegados). Alguns jogadores reclamaram de não ter tido acesso ao Renegados

Ray Tracing nos PCs

Com a tecnologia cada vez mais adotada nos games de PC, com o suporte da NVIDIA, ter o game com iluminação e efeitos de refração pode ser bem interessante. Esteticamente o modelo mais próximo que eu vi do Overwatch foi o Minecraft, e ter um visual next-gen sempre é esperado, mesmo mantendo um pouco a estética meio cartoon do jogo.

Multiplayer clássico com todos os mapas e eventos sazonais

Talvez isso seja implementado após o lançamento, mas certamente teremos um multiplayer na continuação, talvez aproveitando a Overwatch League. Com todos os mapas já lançados, a Blizzard pode aproveitar tudo e usar, tanto na campanha de 1 jogador, quanto no multiplayer, mantendo o Jogo Rápido e o Arcade. Mas não sei dizer se todos os personagens poderiam retornar em uma sequência.

Overwatch - Mapa de Paris

Criador de personagens na campanha

Difícil dizer se a campanha teria os personagens fixos, ou se o jogador seria um personagem criado por ele, com aparência e nome, similar a games como o Cyberpunk 2077 e Code Vein. Caso tenha isso, talvez ter um sistema robusto de criação de personagens, apesar de que pela franquia ser um FPS, muitos podem nem ligar tanto pra isso por justamente não ver tanto os personagens.

Mas como a gente acaba sempre caçando uma skin, que tem mudanças nas armas, muitos gostam de se sentir como o o personagem, ou de se sentirem bem com uma roupa específica, além de ter os emotes também

Customização de skins

Taí algo que poderia até ser interessante no primeiro jogo, com customização de skins. Cores, roupas, aparências de armas, adereços de cabelo, cores e penteados, tanto de um personagem criado pelo jogador, ou mesmo mudando a aparência de um herói. Mas acho que o jogo não teria algo do nível de um SoulCalibur, que dá até pra criar personagens de outros jogos nele, mas seria curioso se o Overwatch 2 tivesse algo do gênero.

Overwatch - Evento de Natal - Winter Wonderland - Wallpaper Wide

Passe de batalha

Vou citar os passes de batalha que foram popularizados com o Fortnite, mas com uma ressalva: que não escravize tanto o jogador. O modelo atual de 9 vitórias das skins especiais é bem interessante, que não força tanto o jogador e dá pra garantir as 9 vitórias em uma noite.

No caso de um passe de batalha, os jogadores terão de jogar a temporada inteira pra avançar e garantir as recompensas cosméticas, mas quando a temporada acabar, talvez a gente possa ter boosts de experiência para avançar mais rapidamente nos níveis do passe.

Só que esse modo de jogo pode acabar gerando críticas dos jogadores dependendo de como ele seria implementado.


Por fim, teremos de esperar pelo anúncio oficial, mas mesmo que o jogo seja anunciado, difícil dizer se será mostrado um gameplay nesta Blizzcon 2019. E como estamos no final da geração atual de consoles e PCs, com a Sony já ter anunciado o PlayStation 5 e a Microsoft com o Project Scarlett, talvez o título acaba saindo só na próxima geração.

Ou a Blizzard pode lançar o game também nos consoles atuais, mas dependendo da quantidade de suporte pós-lançamento, fico com receio de acontecer algo similar ao Diablo III, onde, em um determinado momento, não teria mais conteúdos no PS3 e no Xbox 360, focando tudo no PS4/Xbox One e PC. Mas com a base instalada dos consoles atuais (Xbox One e PS4), lançar também nos consoles atuais é praticamente obrigatório.