PlayStation 4 - Foto - Console - Index


PlayStation 4 - Foto - Console

Depois de mais de 1 ano e meio com o PlayStation 4 disponível no mercado, finalmente tomei um pouco mais de coragem e adquiri um nos últimos dias. Além do meu PC “semi-next gen” que roda games next-gen, um console dá mais garantia de jogar determinados jogos sem me preocupar tanto com placas de vídeo e performance.

E, bem, é um PlayStation 4! A nova geração finalmente adentrou na minha casa!



Chega a ser um tanto quanto complicado, e estar meio eufórico, mas apesar disso, também acabei meio anestesiado nas primeiras horas da última quarta-feira, ainda mais por ter passado o “hype” inicial da época do lançamento. Hoje muitos já tem o PS4, já estão jogando diversos games, diversos leitores já tem o console, amigos, etc. Também chega a ser meio arrependimento ver que eu poderia ter não comprado o LittleBigPlanet 3 no PS3 e ter segurado para pegar no PS4. Mas novembro estava muito distante, e não tinha previsão de que compraria o console tão rapidamente (mas acho que eu enrolei pra jogar o LittleBigPlanet em detrimento do World of Warcraft, mas é outra estória).

Quanto à usabilidade inicial do console, chega a ser surreal ver que a Sony fez no PS4 o que ela deveria ter feito no PS3 em todos esses anos. A dashboard do PS4 é rápida, tudo está ali na mão. Entrar e sair da PlayStation Store sem tempo de espera é estarrecedor, estar num jogo e apertar o botão de “PS” e já ir pros menus em tempo real, navegar nas diversas opções da interface, trocar usuário… Tudo muito rápido! E ver as atualizações dos amigos, podendo finalmente estar em dia com o que a galera faz.

Praticamente tem uma rede social dentro do console, apesar de ainda não ter aprofundado muito nessa parte.

Bloodborne Dual Shock 4! #ps4

Uma foto publicada por Rodrigo Flausino (@rodrigofglima) em

Em contra-partida, a nova geração praticamente matou o velho ritual “comprar jogo, inserir a mídia e jogar automaticamente”. Tudo tem update, tudo tem uma demora inicial. O Bloodborne, que eu comprei junto em mídia física, já veio com quase 3 GB de atualizações, e nesse ponto a velocidade de download da PSN é a mesma qualidade do PS3: lenta. Por algumas horas eu fiquei um tanto quanto decepcionado e ansioso pra poder jogar o novo RPG da From Software no primeiro dia, mas tive de resetar modem e access point pra ver se melhorava.

Outra questão é na questão do download, e nas primeiras horas não encontrava no console o local onde mostraria os downloads, para poder pausar algum download. Cometi o erro de querer baixar o Destiny e jogar o Bloodborne depois, e como não achava um botão de pausa pra parar o download do Destiny, eu tive de apagar o jogo para baixar ele depois, deixando o download funcionando de madrugada. O console também pode fazer mais de 1 download em paralelo, mas ao fazer isso o aparelho não baixa direito nem um e nem outro conteúdo, tendo mais espera. Ao ativar o Ether One na PlayStation Plus ele ficou baixando junto com o Guacamelee, e logo quando 1 deles terminou veio o download do Peggle 2, que peguei pra minha mãe distrair um pouco por aqui.

Peggle 2 e Bloodborne - PS4

Tirando os problemas de download (que acabei encontrando o local alguns dias depois), as impressões do PS4 são bem positivas. Claro que a dashboard veio mais madura, e muitos jogadores que compraram pouco após o lançamento tiveram problemas iniciais com a dashboard, que a Sony foi arrumando com o passar dos meses. O bom também de ter também um console é não precisar me preocupar tanto com determinados jogos que sairiam no PC e que poderiam não rodar no meu PC, como o Assassin’s Creed: Unity (que acabou rodando normalmente) e games dos próximos meses e anos, como o The Witcher 3, o Assassin’s Creed: Syndicate, Batman: Arkham Knight, entre outros jogos que serão lançados apenas na nova geração atual.