Paganini Mixer

PlayStation Plus Games One Year

A Sony divulgou essa semana uma imagem mostrando os jogos que ela disponibilizou durante o primeiro ano da Instant Game Collection. No ano passado ela conseguiu um feito incrível ao começar a disponibilizar jogos gratuitos todos os meses na PlayStation Plus, se tornando a principal vantagem do serviço. Saves na nuvem e acesso a betas são recursos interessantes, mas não supera a vantagem de ter jogos de graça, e na Europa ela chegou a disponibilizar muitos games antigos e recentes, conseguindo vencer a americana em muitos meses. Tudo isso por US$49,99 dólares nos EUA, e são menos de US$0.79 cents por jogo.

Claro que a Plus nem sempre dá jogos legais, e ainda existem muitas pessoas que não gostam do serviço, por conta do jogo “não ficar para o jogador” e de não poder “escolher o jogo”. Realmente, se o jogador não renova a assinatura o game deixa de funcionar e ele não tem como baixar o game na lista de downloads, mas se for ver bem, é um valor irrisório que serve de “aluguel digital”, podendo jogar o tanto que quiser, na hora que quiser. R$ 111,50 por ano, e os jogadores assinam tanto a Plus americana quanto a europeia, tendo acesso a mais jogos por mês.



Fora todas as promoções que rolam para os assinantes. Já comprei o LittleBigPlanet Karting por $10 (6 meses antes dele ficar gratuito na Plus), o Metal Gear Solid: HD Collection já ficou por $20, Prince of Persia Trilogy e o Assassin’s Creed III também por US$ 20 em algumas épocas, e já peguei o Ni No Kuni na Europa por menos de R$90 reais. Ou seja: compensa assinar. E no caso dos games que o jogador compra com desconto, esses ficam para ele na conta, e se tornou uma ótima arma contra o comércio de jogos usados. Melhor comprar um game por um valor reduzido e digital do que pegar um usado ou mesmo um jogo novo que custa caro num varejista nacional.

Hoje a Plus se tornou a maior vantagem da Sony em relação à Live, da Microsoft, onde o jogador tem de pagar para jogar online. No PlayStation 4 será disponibilizada uma edição específica do DriveClub no dia do lançamento, mas nem tudo são flores: será necessário ter a Plus para jogar online, e cheguei a ter o receio do sistema ser travado por PSN-ID, o que poderia prejudicar quem usa contas brasileiras para jogar e ganhar troféus. Mas segundo o Shurei Yoshida (presidente da Worldwide Studios da Sony), ele disse no Twitter que as outras contas do console também poderão jogar online (mas espero que tenhamos o mesmo sistema de contas do PS3, podendo ativar os games na conta americana e jogar na brasileira). E a Sony já justificou o uso do serviço para poder continuar mantendo a estrutura de servidores, e é um serviço caro e demanda de profissionais qualificados para isso.

Por fim agora só falta aparecer a Plus aqui no Brasil (de maneira oficial). Só que, como a Sony brasileira vive dizendo: nunca tem previsão de quando que o serviço irá estrear. Espero que isso ainda aconteça, e enquanto isso não acontece pelo menos a gente continua usufruindo da Plus na América do Norte e na Europa. Vida longa à PlayStation Plus!