Decidi separar os posts do Doom Eternal, um com impressões iniciais, e outro com mais vídeos das lives que eu comecei a fazer no Facebook do GameHall. O jogo tem uma jogabilidade bastante frenética e nos PCs o visual é impressionante, que é turbinado por ter um PC com uma GeForce RTX 2070. O jogo não tem quedas de framerate e fica em 60 fps em Full HD.

A campanha traz o Slayer decidido a matar os sacerdotes infernais, passando por locais bem variados, mas ao mesmo tempo tem horas que o jogador será “lembrado” de que “cumprir essa tarefa pode gerar consequências” para a Terra. Mas é aquele negócio: a Terra está infestada de demônios e com isso o Slayer não deixará pedra sobre pedra, matando tudo que estiver pela frente.

Doom Eternal - PC Screenshot com a GeForce RTX 2070 - 06

Como comentei no artigo de impressões, aqui é fácil ficar sem munição por boa parte dos confrontos, e com isso eu tinha de me movimentar freneticamente pra achar munição e sobreviver, pois além da munição acabar rápido, os danos dos inimigos são elevados, deixando a vida quase sempre no vermelho. Felizmente o jogo dá uma “ajudinha”, com poções de cura espalhados pelo cenário, além de curas deixadas ao eliminar os oponentes, principalmente se eu usar os “finalizadores”, após os inimigos ficarem brilhando. Para inimigos mais fortes é a hora de finalizar e não ter tanto trabalho, pois alguns deles podem ser brutais!



Veja Também

Avancei pouco na campanha até o momento, mas consegui também acessar um “Portão do Slayer”, que é um desafio extra cheio de inimigos. Essa parte final acabei não transmitido, mas tem outros momentos que você pode ver abaixo.

Doom Eternal está disponível no PC, PS4 e Xbox One, e posteriormente sairá um port pro Nintendo Switch.