A notícia de hoje veio do MeioBit Games, pela experiência do mestre Dóri Prata (não me bata, Dori), e vem do teste que o mesmo fez no serviço de distribuição de jogos (ou seria de vídeos interativos?) OnLive.

Nosso amigo testou o serviço, que parece que está finalmente disponível para todos e teve boas impressões. Sabendo da disponibilidade do mesmo, corri para ver, fiz minha conta, baixei o cliente, que é minúsculo, e corri pro abraço.

Captura de tela inteira 02022011 112347



O motivo de tão pequeno instalador fica óbvio logo de cara, quando o serviço é aberto pela primeira vez: tudo no OnLive é vídeo. Os menus, telas, opções, tudo. O único menu que parece ser executado localmente é o ALT+O, que trata de configurações gerais e privacidade.

Não deixa de ser impressionante, porém. Ao ver aquele mundo redondo feito por telas de games rodando em tempo real (ainda preciso de confirmação disso) tem-se noção do tamanho da coisa.Captura de tela inteira 02022011 112435

Todos os jogos tem a opção de Free Trial de 30 minutos e, assim como o Doritos, testei logo de cara o Braid. As limitações do sistema não demoraram a se mostrar: o lag é notável, mesmo num game que, teoricamente, não demandaria nem de CPU nem de largura de banda (acostume-se com isso, no OnLive o jogo não é pesado pelo CPU necessário, mas sim pela largura para transferir o vídeo).

Captura de tela inteira 02022011 112706

O segundo teste foi no game Metro 2033, baseado no ótimo livro do escritor Dmitry Glukhovsky. Um First Person Shooter apenas tornou mais óbvia a inviabilidade de jogar por vídeo em terras tupiniquins. A todo momento o jogo era paralisado, sendo exibida uma mensagem de conexão abaixo do recomendado. O mais correto seria abaixo do PERMITIDO, já que o sistema simplesmente paraliza o game enquanto tenta recuperar a velocidade necessária da rede. Se tal não ocorrer em 5 minutos, você é sumariamente desconectado do serviço.

Captura de tela inteira 02022011 113547Captura de tela inteira 02022011 113846

Mesmo com o jogo ainda rodando, frequentemente era exibida uma mensagem no canto superior da tela, informando que as coisas não estavam tão boas, e o som começava a sofrer distorções.Captura de tela inteira 02022011 113831

De qualquer forma, nos poucos minutos em que Metro 2033 rodou, desconsiderando o lag, a qualidade do vídeo foi absurda. Digo isso porque rodei o jogo em um notebook Dell pé-duro, que eu sei, não teria a mínima condição de renderizar gráficos naquela qualidade. Neste ponto, a estrela do OnLive brilha.Captura de tela inteira 02022011 114135

Outro ponto interessante é o Arcade, onde você pode “urubuzar” os jogos de outras pessoas, entrando como espectador. Não há limite nos jogos que permitem isso, é só uma questão de escolha do jogador permitir espectadores ou não (vem habilitada por padrão).Captura de tela inteira 02022011 125132

Meu teste pessoal não terminou bem, lamentavelmente. Neste momento, já pela décima vez seguida ou mais, tento entrar no cliente e sou recebido com uma mensagem de que minha latência está muito alta, me dando como única opção sair do aplicativo.Captura de tela inteira 02022011 121817

Conclusões: sob vários aspectos, eu mordi a língua quando falei que o sistema era feito e movido a hype.

Não é. A coisa é real e, o pior, é viável. Infelizmente não enquanto não houver um servidor OnLive no país mas, uma vez sanada essa questão, o serviço pode realmente fazer frente a um Steam da vida e até mesmo aos consoles, já que uma torradeira ligada na TV é suficiente para rodar Crysis no máximo. Lembrando que estou analisando o serviço para o Brasil. Nos EUA ele já é verdade e só tem a crescer.

Por outro lado, tire o cavalinho da chuva, se pensa que vai usufruir dessa aventura tão cedo. Sem servidores BR, o máximo que você poderá fazer é espreitar os jogos dos gringos. Mas até mesmo isso tem seu valor, pois o OnLive se reveleu uma forma nova e incrível de ver demos dos jogos que você quer comprar em outra plataforma.

[Update]

Dados da conexão utilizada:
Net Virtua
10Mbps downstream
1Mbps upstream