Thief

Alguns anos atrás a Eidos tinha anunciado o Thief 4, mas desde então pouco se falava sobre o game. Não tinha nenhuma informação e tinha apenas tendo um vídeo de um artista pra mostrar efeitos de iluminação e algumas storyboards divulgadas num fórum. Comentei sobre isso neste post, e recentemente teorizei que o game tenha migrado para a próxima geração de consoles. Dito e feito: a revista Game Informer anunciou a capa da edição deste mês, com o novo game da série e tendo apenas o título de “Thief”

Thief



Segundo o press-release oficial, Thief é uma “releitura” da famosa franquia que definiu um gênero na década de 90, sendo criado pelo estúdio Eidos Montreal, de Deus Ex: Human Revolution. Tem previsão de ser lançado em 2014 para PC, Playstation 4 e “outra plataforma da próxima geração”, provavelmente o “próximo Xbox” que ainda não foi anunciado. Segundo a edição da Game Informer, a equipe da Eidos Montreal foi vaga quanto ao game ser fiel aos jogos anteriores lançados na década de 90, e muitos elementos mágicos da série serão deixados de lado. O personagem principal, Garrett, está voltando à terra natal depois de uma longa ausência, apenas para encontrar a cidade com uma “fusão de prosperidade”. Um barão com mãos de ferro controla a cidade, e oprime a população com um “relógio militarizado”. Apenas a elite foi premiada com “boa sorte”. Garrett é motivado pela emoção em roubar algo que os outros não podem pegar, e vê a opressão como uma oportunidade para ganhar mais dinheiro.

Eles viram uma longa sequência de gameplay, mostrando o personagem se escondendo dos guardas. Corpos vitimados pela peste se acumulam nas esquinas, e guardas instaurarem pequenas disputas civis na base da força. Pessoas ricas caminharem com os próprios guardas e, atrás de uma carroça, ele escuta mais sobre um tal de Theodore Eastwick, um arquiteto rico que tinha sido contratado pelo barão para construir muitas das estruturas góticas da cidade. O cara está na “House of Blossoms”, um bordel subterrâneo que fica no outro lado da cidade, construído para servir a elite. Durante a sua ida à casa, ele tem de distrair os guardas com uma garrafa e subir alguns canos na lateral do prédio, correndo pro telhados e outros locais, também “mergulhando” para uma janela mais próxima, enquanto que ele localiza o Eastwick entrando dentro do bordel.

Thief

Neste post do Gematsu tem a descrição completa, tendo mais informações do gameplay mostrado. Garrett chega a conversar com um travesti (Xiao Xiao), que dá mais informações do local, citando que hoje tem mais segurança que o habitual e que qualquer objeto de valor pode ser armazenado num cofre de um escritório. Ao ler um livro de registros na portaria, Garrett pode determinar em qual dos quartos estará o alvo, mas ele vai primeiro para o cofre, e tentará arrombar ele com um “mini-game” de arrombamento (lock-picking). Antes dele terminar a tarefa o Xiao Xiao entra na sala, e ele rapidamente tem de se esconder para não ser descoberto. Quando ele consegue arrombar e pegar os ítens, o travesti está atrás da porta conversando com uma das mulheres, e ele encontra uma passagem secreta para poder sair de lá.

Posteriormente ele consegue entrar na sala e rouba um medalhão do alvo. Aqui entra a habilidade de Focus, que será usada para ver, na parede mais próxima, um símbolo azulado, correspondendo a uma das runas que estão no medalhão; e ao apontar o medalhão para este local, o medalhão “começa a ser destravado”, e 4 salas do local tem esses símbolos, para “destravar o medalhão”. Ainda segundo a revista, a habilidade poderá ser usada de muitas maneiras, como destacar objetos interativos como estruturas para escalar, e durante um momento de “bater carteira” o Focus pode ser usado para “desacelerar o tempo”, para poder pegar mais ítens do alvo. Também terá um sistema de visualização de impressões digitais para saber quais gavetas numa sala foi mais usada, sugerindo mais ítens para serem furtados pelo jogador. Qualquer gaveta poderá ser acessada.

Thief Focus

Ainda no bordel, Eastwick percebe que foi roubado e pede ajuda, e com isso os guardas vão procurar o ladrão em todas as salas. Garrett tem de arrumar uma maneira de sair de lá, e mais cedo ele tinha escutado duas mulheres conversando, comentando sobre uma tragédia que aconteceu antes, quando o sistema de ventilação foi “transbordado” acidentalmente por ópio. Com isso em mente, ele faz a mesma coisa e deixa todo mundo em sono profundo, e Garrett tem de prender a respiração para sair rapidamente de lá. Os guardas encontram ele, que o força a voltar para a nuvem de ópio, e para escapar ele usa o arco para atingir uma estátua, para fazer ela para cair em cima de 2 dos guardas. Ele novamente usa a habilidade de “Focus”, usando um movimento de “artes marciais” para jogar um guarda no chão (pelo braço) para escapar. Quando ele estiver livre, ele entra por um tubo de ventilação para descer até os esgotos da cidade.

Sobre as locações, um sistema de navegação será usado para mostrar ao jogador onde ele terá de ir, mas a equipe de desenvolvimento quer que os jogadores explorem os cenários do jeito que eles quiserem. As locações terão muitas entradas e saídas, e muitas opções estarão disponíveis para uma abordagem furtiva. No final de cada missão o jogador pode usar a grana adquirida para melhorar os seus equipamentos, e ao longo do jogo diversos artefatos podem ser usados para decorar o esconderijo do personagem, que estão espalhados pela cidade.

Thief

Das armas e equipamentos que Garrett terá, temos a Blackjack, uma espécie de porrete que era usado nos games anteriores e que será usado para nocautear oponentes quando estiver atrás deles; o arco, que poderá ser usado tanto em combates quanto para atirar em uma garrafa que está no outro lado da sala para “seduzir uma garota”; uma garra (Claw) para agarrar em certos pontos; e flechas especiais, como uma de fogo, para criar incêndios e outras que iniciam “fumaça” para distrair os inimigos.

Ainda sobre a jogabilidade e inteligência artificial, Garrett não é um lutador exímio e por isso uma luta com 4 guardas não será tão justa, tendo a necessidade de fugir. Os inimigos terão concepção do design das fases e saberão onde o personagem poderá estar escondido, e os guardas procurarão o jogador de diversas maneiras.

Este novo Thief é muito promissor, e pelo que eu percebi ao ver as imagens e lendo os comentários do pessoal no Twitter, tanto o estilo de arte quanto a própria premissa de jogabilidade se assemelham a Dishonored. Pelo que eu fiquei sabendo depois, o Harvey Smith, um dos diretores criativos de Dishonored, trabalhou na Eidos na série Thief, e o game da Bethesada acabou tendo um estilo similar. Abaixo tem mais algumas imagens que também surgiram ontem e um vídeo com comentários dos desenvolvedores, e espero que até a E3 eles divulguem pelo menos algum vídeo de gameplay.

Thief City Artwork

Thief

[nggallery id=573]

[Via All Games Beta 1 e 2]